Arquivo da tag: vinícolas

Santiago

Se você pensar em vinhos, o Chile tem. Se você pensar em paisagens deslumbrantes, o Chile tem. Se você pensar em boa comida e boa mesa, o Chile tem. Se você pensar em povo hospitaleiro e acolhedor, o Chile tem. E o melhor: está coladinho com nosso lindo Brasil!

Santiago do Chile é uma cidade moderna e cosmopolita, com mais de 05 milhões de habitantes e capital do País. Dela, temos acesso a verdadeiras jóias naturais, como o Deserto do Atacama e a Patagônia Chilena. Um caldo fervilhante de cultura, restaurantes, bares, museus, programações culturais, lojas… enfim, vale a pena passar pelo menos uns três dias na cidade, se seu destino for outro. Senão, aproveite para curtir uma semana inteira por ali e delicie-se com a maravilhosa arquitetura do centro histórico e o agito de Bella Vista. Nesse post, vou dar algumas dicas de coisas bem legais que fiz, e recomendo.

City Tour à pé (Walking Tour) – Se você, assim como eu, gosta de bater perna pra cima e pra baixo, e conhecer a cidade caminhando, esse é um ótimo (e baratinho) passeio. O encontro acontece em frente a Catedral de Santiago, na Plaza de Armas, às 10h da manhã. Não precisa agendar, e é gratuito, você dá uma gorjeta no final se gostar do tour. O passeio é feito em espanhol, mas nosso portunhol agradece e conseguimos entender tudo. Nesse tour, você conhecerá os pontos mais importantes do centro histórico e terá a possibilidade de observar a bela arquitetura de muitas construções, entre eles a Prefeitura, a Catedral, o Prédio dos Correios, o Palácio La Moneda, o Museu de Belas Artes e outros. Você faz uma rápida visita ao Café con Piernas – onde as garçonetes trabalham com saias curtíssimas, e o passeio finaliza na Casa de Neruda, La Chascona. Lembrando que é um tour, então você não entra em todos esses lugares, mas vale a pena. O que gostar, você vai depois e visita com tranquilidade e tempo (fiz isso!).

La Chascona – Casa de Pablo Neruda – A casa de Neruda é atualmente uma casa museu. Você aluga um áudio guia na entrada e pode ir visitando os aposentos e conhecendo um pouco mais de sua história. Lindo, romântico e de te fazer suspirar, recomendo fortemente! Conheci outra casa sua em Valparaíso, mas essa sem dúvida é a mais charmosa. Ah, atenção para a explicação sobre a relação de Neruda com o Mar, de se apaixonar.

BellaVista – Bairro boêmio e cheio de baladinhas. Logo na minha noite de chegada, me meti num tour à pé por bares nessa região. Não me lembro quantos (socorro!), mas em cada um ganhava um shot de birita, e no final rolava ainda uma baladinha em boate. Não lembro ao certo o preço, mas na época acho que foi em torno de 08 dólares, com as entradas e shots inclusos, e tinham vários gringos de vinte e poucos anos no tour. Se você quer tomar umas pingas, conhecer gente nova e curtir a night, recomendo. Aproveite e prove a típica e explosiva bebida chilena: Terremoto (uma mistura de vinho branco, sorvete e outras coisas mais). Já se você tem espírito barzinho / restaurante / bater papo, tem outras ótimas opções no bairro de Bellavista, bem melhores do que essa. Eu curti, mas na época eu era uma das jovens de vinte e poucos anos, hoje em dia meu espírito tá mais pra outras atividades mesmo – Fácil acesso pelo metrô Baquedano.

Pátio BellaVista – Olhaí o paraíso do comer e beber bem, sentados e com uma mesa só pra você, que coisa linda! O Pátio é uma região de lojinhas e muitos bares e restaurantes, como se fosse um mall – não se engane, também rolam baladinhas, mas é um ambiente descolado e confortável pra quem curte um pouco mais de tranquilidade (e menos vida loka). Lembrando que no Chile você não pode beber na rua, então os bares estão sempre cheios. No caso das baladas fechadas, se sair pra fumar, sua birita não pode sair com você.

Mercado Central – Se você quer comer mariscos e beber Pisco Sour, esse é o seu lugar! Lá, pela bagatela de U$ 100 (uau!), você come uma Centolla, um caranguejão típico chileno.

Cerro San Cristóbal – Linda vista da cidade. E, melhor notícia, tem funicular!!!

Cerro Santa Lúcia – Linda vista da cidade, mas vai ter subida caminhando.

Vina del Mar e Val Paraíso – Vina del Mar é o point dos jogos e cassinos, para turistas mais endinheirados gastarem seus dólares. Tem praia e você pode molhar seus pezinhos nas águas do oceano Pacífico – geladas, por sinal!  Val Paraíso é a linda e colorida cidade litorânea – reza a lenda que as casas são pintadas em cores vibrantes pois a cidade, portuária, está sempre envolta em uma constante névoa, o que dificultava a visão dos navios. Então resolveram colorir as construções para facilitar a visibilidade. Se é ou não verdade, não se sabe. Mas a cidade é linda e de bônus ainda temos mais uma casa do Neruda para nos deliciar.

Vinícola Indômita – Inclui a visita à Indômita em meu passeio para Vina del Mar e Val Paraíso e não me arrependo mesmo. Super recomendado, o passeio inicia com uma visita a deslumbrante vinícola, seguido da degustação dos vinhos da casa em uma sala apropriada. Ali você aprende um pouco mais sobre a produção, os aromas, tipos de uva… enfim, para quem curte a bebida, vale incluir. Você almoça na vinícola também, mas paga-se por fora. Comi um ceviche fantástico lá.

Vinícola Concha y Toro – São os produtores mais populares do Chile! Se você curte vinhos, não pode perder. Existem tours até a vinícola, mas se você tá com orçamento apertado, faça como eu – agende pela internet e vá de metrô, que te atende tranquilamente e sem erro. Na saída do metrô, você vai pegar um táxi até a vinícola, e mesma coisa na volta, mas é tranquilo e bem mais barato que fazer em excursão. Minha visita ficou agendada para as 12h, com um guia brasileiro e foi toda falada em português. No meu tour estavam apenas eu e mais uma pessoa, também do Brasil, então foi fantástico e entendi tudo perfeitamente. Pausa para o teatrinho com efeitos especiais que conta a história do mais famoso vinho da Casa – Casillero del Diablo. Você pode incluir almoço harmonizado no passeio, mas eu fiz só a degustação e almocei por fora, também no restaurante da casa. Gostei do esquema e recomendo, se você está pensando em economizar.

De Santiago você tem fácil acesso para conhecer o norte, no maravilhoso Deserto do Atacama, ou a Patagônia Chilena no finzinho do continente.

Informações Gerais:

  • Fiquei no Hostel SoBe, que não é no Bairro de Bellavista e sim no Centro, mas recomendo. Está muito bem servido de metrô e um táxi de volta pra casa não vai te custar mais que 05 dólares.
  • Você pode levar dólares, mas não pense que vai ser uma viagem baratinha. O Chile é caro e conhecido como a Europa das Américas no quesito desenvolvimento, então vá preparado. Eu fiz o esquema mochilão baratão, e gastei 1.600 dólares em 18 dias de viagem (incluindo aí 08 dias no Atacama + passagens aéreas + ônibus noturno de ida e volta à Pucon).
  • Perdoem as poucas fotos, sendo muitas de comida 🙂 (tive um incidente com meu note e perdi tudo)

Mendoza (parte 1): Vinhos! Vinhos! Vinhos!

Se a Argentina é a terra do malbec, Mendoza é a própria fonte. Existem diversos passeios diferentes pela área fronteiriça com o Chile, basta escolher a região produtora de vinho e seguir em frente pra conhecer as vinícolas – você pode ir até de bicicleta! Continuar lendo Mendoza (parte 1): Vinhos! Vinhos! Vinhos!